domingo, 4 de maio de 2008

Max Skladanowsky

Foi no Wintergarten em Berlim, situado na Martin Luther Strasse, que se realizaram as primeiras projecções de cinema para um público pagante. A 1 de Fevereiro de 1907, o jornal alemão Der Komet atribuiu a invenção do cinema a Max Skladanowsky iniciando uma polémica com os jornalistas franceses sobre a data do seu início.

Max e o irmão Emil acompanhavam o seu pai Carl em espectáculos itinerantes de instrumentos ópticos, principalmente com Lanternas Mágicas. Este interesse pela projecção de imagens levou a que estudassem a possibilidade de animar fotografias e no verão de 1892 desenvolveram uma máquina de filmar e projectar utilizando a nova película de celulóide Kodak inventada por Eastman. O Bioscópio (Bioskop) é um dispositivo de projecção desenvolvido a partir das lanternas mágicas de dupla lente (biunial). Skladanowsky utilizava duas tiras de película (de 54 mm de largura), projectando alternadamente 16 fotogramas por segundo.
Em 1 de Novembro de 1895 (cerca de dois meses antes dos irmãos Lumière) conseguiram finalmente apresentar os primeiros filmes em Berlim Wintergarten. Esta apresentação, que não durou mais do que 15 minutos e que era composta por apenas 8 pequenos filmes, foi entusiasticamente recebida, como foi descrito por um jornal local. Um mês depois, em 21 de Dezembro, iniciaram-se as projecções em Hamburgo e foi realizado um contrato para a sua apresentação em Folies Bergere, Paris em Janeiro. Este não se concretizou devido ao recente sucesso dos irmãos Lumière, que em 28 de Dezembro de 1895 fizeram a sua primeira apresentação pública do Cinematógrafo, um projector com um sistema mais simples do que o Bioscópio. Supõe-se que também teria sido acordado e não concretizado um show em Leicester Square, Londres, no Empire Theatre. Restava a Max e Emil a divulgação do seu projector na Alemanha e países vizinhos (Noruega, Suécia, Holanda e Dinamarca). A última apresentação dos filmes dos irmãos Skladanowsky foi em 30 de Março de 1897 em Stettin, Alemanha, porque foi cancelada a licença de Max para projectar filmes. Dedicou-se então à produção e venda de flip-books, câmaras de filmar e de projectar e ao estudo da fotografia a três dimensões. Criou a companhia Projektion fur Alle (projecção para todos) destinada à projecção e distribuição de lanternas mágicas com diapositivos em 3D. A companhia também produziu alguns filmes realizados por Eugen em 1913-14, mas que não obtiveram grande sucesso. Max voltou a usar o Bioscópio nas comemorações do 40º aniversário do cinema em Postdam, no Filmuseum.

PF

3 comentários:

André Cardoso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
André Cardoso disse...

Olá!!!

Sou André Cardoso, aluno de jornalismo da PUC Goiás. Estou desenvolvendo um documentário jornalístico sobre a vida e obra do artista plástico, Siron Franco. É meu trabalho de Conclusão de curso.

Gostaria de utilizar esse texto como referência. Preciso da data que ele foi publicado e quais as referências desse texto.

André Cardoso disse...

Ah... Quem é o autor desse texto também?